Home
Cogovernança - modelo de gestão participativa PDF Imprimir E-mail

 

Cogovernança: modelo de gestão participativa

[...] Ação em redes ... os signatários do “Pacto para uma nova governança” adotam o modelo de governo diretamente relacionado à chamada “filosofia da rede”.

[...] “A rede representa o processo mais eficaz para agregar as diversidades e, consequentemente, para responder com um olhar mais rico a complexidade real que nos caracteriza enquanto sociedade”, diz o documento. “O diálogo entre diferentes sujeitos pode recompor o tecido da cidade, porque incrementa o capital social, melhora as escolhas públicas e as torna mais eficazes”.

[...] as redes se dividem em três tipos, conectadas entre si: rede de cidadãos (todos aqueles que vivem no território urbano e que, inspirados pela mesma responsabilidade, sustentam a diversidade de funções e tarefas); redes de agentes coletivos (grupos de profissionais e econômicos, sujeitos de voluntariado e do âmbito religioso, da cultura e da universidade, da informação e da comunicação), e rede entre cidades (tendo em vista a unidade mais ampla da família humana).

Essas redes “superam o risco de se transformarem em organizações improdutivas, de egoísmos, porque decidem acolher e envolver como sujeitos todos aqueles que frequentemente estão à margem das dinâmicas democráticas por conta das pobrezas econômicas, relacionais ou culturais”.

 

 

Para ler o artigo de CIDADE NOVA, clique aqui.